Climatização e Isolamento, Energias Renováveis, Iluminação, Medição de Energia, Mobilidade Sustentável, Poupança de Água
O QUE É A ENERGIA?

O QUE É A ENERGIA?

 

Como primeiro texto deste nosso Blog de Soluções de energia e eficiência energética, começamos por abordar um conceito que a todos nós é familiar mas que muitas vezes é mal interpretado, estamos portanto a falar do conceito de ENERGIA. Mas qual é o motivo desta má interpretação? Pois bem, tal acontece porque a maioria das vezes esta simples “palavra” é confundida com uma outra expressão utilizada em “faturas” elétricas chamada POTÊNCIA. Perante esta confusão, as suas unidades de representação são também alvo de grandes equívocos e erros por grande parte da população Portuguesa.

A nossa entidade promotora, Efimarket Portugal, tem o objetivo de ajudar a conhecer, analisar e desenvolver certos conteúdos relacionadas com o que genericamente consideramos de “energia”, acreditando vivamente que “o saber não ocupa lugar” e que esse mesmo saber é fundamental para obter planos de poupança energética nas mais variadas habitações de Portugal. Perante este cenário, será possível atingir a real eficácia, refletindo essa poupança na diminuição de gastos financeiros mensais, no que toca ao pagamento da fatura eléctrica das nossas casas.

Atuando de maneira racional é possível optimizar os consumos domésticos e agir de uma forma coerente e respeitosa perante o meio ambiente!

Sendo direto na questão: o que é a Energia?

Pois bem, por definição e de um jeito extremamente resumido, a energia define-se como a capacidade de poder realizar um trabalho, sendo energia tudo o que produz ou pode produzir acção. Podemos exemplificar com um barco que recebe a energia do vento para se movimentar mais rápido, esta energia é capaz de “soprar” a vela fazendo-o movimentar!

O grande pormenor que confunde o normal cidadão é o facto de a energia ser representada por numerosas formas. São precisamente essas variadas formas que o ser humano assume a sua grande batalha, tendo como objetivo transformar essas diferentes formas de energia em outras (mais capazes), de modo a obter sempre um maior proveito para a sociedade.

Para que seja possível entender melhor esta última afirmação só é necessário retroceder (julgo poucos anos) até ao descobrimento do fogo. O homem para se poder aquecer necessitou de transformar energia química, contida num simples tronco de lenha, em energia térmica. Através do fator “acaso” contribuiu para o desenvolvimento da humanidade mediante uma simples reacção de combustão!

Para entender melhor todo este simples conceito, é necessário ter presente a unidade de medida básica da energia: o Joule – unidade que equivale aproximadamente 0,24 calorias. Sendo uma caloria a quantidade de calor necessária para elevar um grau numa grama de água.

De uma forma mais prática, podemos afirmar que das múltiplas formas de energia existentes, as mais úteis e as mais precisas ao ser humano (as que garantem firmemente o nosso nível de bem-estar), são a energia térmica e a energia elétrica. Com a primeira é possível aquecer as nossas casas e dispor de água quente para o nosso conforto, a segunda alimenta uma vasta gama de equipamentos elétricos que nos facilitam o nosso quotidiano.

Pois bem, é nesses pequenos (grandes) equipamentos eléctricos que aparece a energia eléctrica, energia essa que tem de ser paga todos os meses às várias companhias de fornecimento. A energia consumida não é mais que a transformação de outros tipos de energia como a energia eólica, energia solar, energia hidráulica, energia nuclear, entre outras…

Energia vs. Potência

Um dos grandes pontos de confusão aparece na hora de diferenciar entre os conceitos de Potência e o conceito de Energia. Para sintetizar, a potência (término fixo contratada à companhia fornecedora de energia eléctrica tais como EDP, ENDESA, Iberdrola…), significa a energia consumida por unidade de tempo.

Para conhecer a energia consumida num determinado período de tempo é muito fácil, só tem de multiplicar a potência por esse mesmo tempo de consumo. Expressão matemática que relaciona essas duas dimensões:

E (J) = P(W) x t(s)

Onde E= Energia, P= Potência e t= Tempo;

Deste modo, se possuirmos um aparelho ligado 8 horas, com uma potência de 2000W, mesmo que 2KW, a energia consumida será:

E = 2KW x 8h = 16 KWh; (É de notar que a unidade de medida é o KW a multiplicar por hora e nunca o KW a dividir por h)

Se assumirmos que pagamos à companhia uma média de 0,20€ por KWh, o custo obtido por esse aparelho ligado 8 horas será de:

C = 0,20€ x 16KWh = 3,20€;

Com alguns medidores de Energia Elétrica Efergy que Efimarket Portugal distribui, poderá obter dados de consumo instantâneos (potências) e de energia consumida em todos os intervalos de tempo. Corresponde, sem dúvida, à melhor maneira de possuir o controlo dos gastos da sua habitação, podendo realizar a sua própria auditoria energética.

Outra aplicação destes fantásticos equipamentos corresponde à eliminação dos consumos em standby de alguns aparelhos. Os consumos em standby dos vários aparelhos são consumos parasitas que aparecem quando os equipamentos elétricos parecem estar desligados. São consumos frequentes em instrumentos de ar condicionado, televisões, entre outros aparelhos domésticos.

Um equipamento com estas características pode possuir perfeitamente um consumo em standby extremamente exorbitante, valores à volta de 150W= 0,15KW (e não é um exagero). Se aplicarmos as mesmas equações anteriores obtemos:

E = 0,15KW x 24h = 3,6 KWh;

Com um custo diário (24h que tem um dia) de:

C= 3,6KWh x 0,2€ = 0,72€; – Custo do standby por dia

Se estendermos este valor para todo o ano:

C = 365dias x 0,72€ = 262,8€ anuais.

É um custo extremamente exagerado para um simples parasita. Para eliminar este parasita consumista existem algumas possibilidades como desconectá-lo do quadro geral ou utilizar dispositivos eliminadores de standby distribuídos por Efimarket Portugal (o nosso parceiro saudável e sustentável).

Existe a possibilidade de estabelecer uma equivalência entre a unidade KWh com a unidade Joule, isto porque ambas são grandezas de medidas energéticas.

Segundo a expressão anterior:

E(J)=P(W) x t(s)

Um Joule equivale a Watt(W) x tempo (s). Isto porque o Joule(J), o Watt(W) e o segundo(s) são unidades básicas do sistema internacional.

Se 1KiloWatt(KW) corresponde a 1000Watts(W), e como 1hora são 3600 segundos temos:

1KWh = 1.000W x 3.600 segundos = 3.600.000 Watts x segundo = 3.600.000 Joules.

Ou seja 1KWh=3.600.000 Joules

Com esta pequena exposição conseguimos enriquecer um pouco mais a população general!

É extremamente benéfico que todas as pessoas tenham a mínima noção deste tipo de conceitos, não só porque o “saber não ocupa lugar” mas porque certamente não vai querer ser enganado nos consumos do seu novo eletrodoméstico. Tenha também sempre atenção às suas necessidades quando a sua companhia de energia lhe oferecer um novo contrato de fornecimento.

A partir de hoje é capaz de seleccionar, observar, perceber e criticar os seus valores de consumo, mas acima de tudo perceber que a mudança pode ser sempre positiva no que toca à poupança energética da sua casa!

Se tiver alguma dúvida ou sugestão tendo em conta os vários temas da eficiência energética não hesite em enviar um e-mail para mestre.batista@7experience.pt.

Acreditamos em sugestões saudáveis capazes de promover o melhor da nossa plataforma.

Share this Story

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>